PIX: A revolução nos meios de pagamento

Esqueça TED e DOC. O PIX chega para ser uma revolução nos meios de pagamento. Com data de lançamento estipulada pelo Banco Central para 16 de novembro, a modalidade promete melhorar, e muito, o mercado de pagamentos instantâneos.

Mais ágil e mais simples do que os serviços tradicionalmente conhecidos, como o TED e o DOC, o PIX poderá ser usado por qualquer pessoa que possui uma conta bancária e quer ter mais praticidade no seu dia a dia.

Com esse novo meio de pagamento, você transfere e paga contas sem restrições de dias ou horários, além de não gastar com as tradicionais altas tarifas para TED e DOC. Na prática, a ferramenta fará com que suas transações fiquem cada vez mais ágeis, sem você esperar dias para que o pagamento “caia”.

 

O que é o PIX?

O PIX é um sistema de pagamentos e transferências instantâneo. Sua grande diferença para os meios atuais está na agilidade da transação. Enquanto existem datas e horários específicos para fazer TED e DOC, o PIX permite que as operações sejam feitas 24h por dia, nos sete dias da semana. Ou seja, até mesmo no sábado, domingo e feriados você poderá pagar sua conta, seu amigo ou algum familiar.

 

Como funciona hoje para transferir dinheiro?

Atualmente, existem duas modalidades:

  • TED (Transferência Eletrônica Disponível): o dinheiro transferido à outra instituição será creditado na conta de destino até às 17 horas daquele mesmo dia, sendo a média é de 30 minutos para que a operação ocorra; vale lembrar que não existe valor mínimo a ser transferido e valores superiores a R$ 5 mil podem ser enviados.
  • DOC (Documento de Ordem de Crédito): o dinheiro cai na conta de destino no dia seguinte, mas pode levar mais de um dia útil caso a transferência seja feita após às 22h; o valor máximo que pode ser transferido é de R$ 4.999,99.

Tanto TED quanto DOC funcionam somente em dias úteis. Transferências feitas em finais de semana ou feriados nacionais são completadas somente no dia útil seguinte.

 

Como funcionará o PIX?

O PIX funcionará através de chaves de segurança. Essas chaves poderão ser cadastradas através do seu celular, e-mail, CPF ou CNPJ, quanto também através da leitura de QR Codes estáticos e dinâmicos.

O BC permitirá as seguintes operações nessa nova ferramenta:

  • Entre pessoas;
  • Entre pessoas e estabelecimentos comerciais;
  • Entre estabelecimentos;
  • Para entes governamentais, no caso de impostos e taxas.

Para usar o PIX, será necessário que tanto o pagador (quem envia o dinheiro) quanto o recebedor (quem receberá os valores) tenham uma conta em alguma instituição financeira.

Após isso, você irá acessar o aplicativo do seu banco e fazer o registro da chave de segurança usando seu número de celular, e-mail ou CPF/CNPJ. Assim, os dados da sua conta, agência e banco estarão vinculados à sua chave e você não precisará passar os seus dados bancários para quem for te pagar.

E se quiser ter ainda mais privacidade, basta cadastrar uma chave de EVP (Endereço Virtual de Pagamento). Ela te permitirá não passar seus dados pessoais na hora de fazer uma compra ou transferência para pessoas que não sejam de sua confiança.

 

O que são as chaves do PIX?

As chaves do PIX serão algoritmos que determinarão qual será a conta que receberá a transferência. Elas poderão ser feitas fornecendo número de celular, e-mail, CPF ou CNPJ.

Na prática, se, por exemplo, o José da Silva registrasse seu número de celular para receber pelo PIX, na hora de receber um depósito, não precisaria passar o número da conta, da agência, do CPF e o código do banco para quem for depositar. Basta passar o número que o dinheiro cairá direto na conta vinculada.

 

Porém, caso você se preocupe com sua privacidade, poderá gerar também uma chave aleatória, que nada mais é do que uma sequência numérica gerada pelo sistema do PIX.

 

Como ocorrerão as transações com PIX via QR Code?

Precisa apenas que o usuário ou estabelecimento que receberá o valor, apresente um QR Code, que poderá ser lido por qualquer tipo de smartphone.

Cada tipo de QR Code terá um uso diferente:

  • O QR Code estático poderá ser usado em múltiplas transações e permitirá que seja definido um valor para um produto ou de um valor pelo pagador. Ele poderá ser usado para transferências entre duas pessoas, por exemplo.
  • O QR Code dinâmico é mais adequado para pagamento de compras, já que poderá apresentar informações diferentes a cada transação e permitirá que sejam incluídas informações adicionais sobre a transação.

 

Fonte: https://www.otempo.com.br/economia/entenda-o-que-e-o-pix-e-o-porque-ted-e-doc-ficarao-no-passado-1.2384939

Abrir bate-papo
Escanear o código
Olá
Podemos ajudá-lo?