O que é um ETF (Exchange Traded Fund)?

O ETF é um fundo de ações que tem como referência um índice da bolsa de valores. Então, a composição é feita com o objetivo de atingir rendimentos iguais ou superiores ao indicador utilizado, por exemplo BOVA11 tem como referencial o índice Bovespa (IBOV).
A gestão deste investimento é feita por um gestor especializado. Diariamente, ele acompanha o mercado e faz as compras e vendas necessárias para obter os melhores resultados.
O patrimônio do ETF é dividido igualmente em cotas, que são negociadas na bolsa de valores. Assim, o preço delas varia conforme os preços das ações que o compõe.
No Brasil, este investimento ainda é bastante recente. Ele foi lançado em 2004. Enquanto que, nos EUA, ele já é negociado desde 1993.

Características do ETF
Antes de investir em um ETF, você precisa conhecer quais são as suas características. Assim, você pode verificar se elas estão alinhadas com os seus objetivos como investidor. Conheça cada uma delas:

Gestão passiva: a rentabilidade está atrelada a um índice de referência da renda variável como, SMLL, IBOV e IDIV. Então, a composição do ETF é ajustada com o objetivo de resultado igual ou superior ao referencial.
Diversificação: esta é uma das características mais interessantes deste investimento. Com apenas uma cota, você tem acesso a diversas ações.
Custos: os custos das cotas são bem acessíveis. Hoje, você encontra bons ETFs a partir de R$ 50,00. O lote mínimo de compra é 10 cotas.
Liquidez: os ETFs são negociados diariamente na bolsa de valores. Então, é fácil adquirir ou vender as suas cotas a qualquer momento.
Acessibilidade: as negociações são realizadas diretamente no home broker. Assim, você pode fazer as suas operações sem sair de casa.
Tributos: os ETFs estão sujeitos ao Imposto de Renda, ao contrário das ações, onde as vendas mensais abaixo de R$ 20 mil são isentas. Nos próximos tópicos, vamos mostrar com mais detalhes.
Reinvestimento: os proventos recebidos pelas ações que compõe o ETF são reinvestidos para o aumento e valorização do seu patrimônio.
Transparência: todas as documentações são disponibilizadas ao investidor. Portanto, você sabe tudo o que acontece no seu fundo de índice.

Investindo em uma ETF
Investir em ETF pode ser uma boa alternativa para os iniciantes na bolsa de valores. Isso porque ele tem exposição indireta ao mercado de ações e possui gestão passiva.
Assim, as variações são mais brandas do que para os papéis avulsos, principalmente se você tem pouca experiência em renda variável.
Uma das grandes vantagens de investir em ETF é a diversificação. Geralmente, ele é composto por diversos papéis e de segmentos diferentes. Sem contar que ele é focado em um índice da renda variável.
Outra vantagem do ETF é a volatilidade mais baixa. Como a sua exposição é indireta, mesmo que uma das ações tenha alta volatilidade, há outra que é mais estável. Então, o todo mantém o equilíbrio.
Ao investir em ETF, esse risco pode ser reduzido. Geralmente, ele tem comportamento mais estável que as suas ações de forma isolada.
Além disso, ele ganhou destaque por ser uma forma barata de ter acesso a diversas ações e a um indicador.
Basicamente, o ETF é recomendado para investidores de perfil moderado e arrojado. Antes de investir, você deve conhecer o seu perfil de investidor e a sua tolerância aos riscos.

Cuidados Que Você Deve Ter
Antes de investir em ETF, outro ponto que você precisa considerar é o custo que ele pode ter. O primeiro deles é a taxa de administração.
Ela é cobrada anualmente e varia conforme a administradora e do próprio fundo de índice. Geralmente, está entre 0,20% a 0,80% ao ano.
Na venda de um ETF, há a cobrança do Imposto de Renda. A alíquota é de 15% sobre os lucros obtidos.
A BM&FBovespa possui as taxas de liquidação e emolumentos, que totalizam 0,0325% da operação. Por fim, há a taxa de corretagem, que por sua vez, varia conforme a corretora.

Cuidados Que Você Deve Ter
Além de considerar os custos do ETF, você precisa tomar alguns cuidados para evitar resultados diferentes das suas expectativas. Saiba mais:

1. Administradora
Ao escolher o seu fundo de índice, verifique quem é a administradora. Confira, no site da BM&FBovespa, os ETFs listados. Assim, você evita cair em ciladas.

2. Índice
Antes de investir, você deve analisar o objetivo de rentabilidade do ETF. Conheça o índice de referência e compare as composições das carteiras. Os resultados tendem a ser semelhantes.
Verifique também se este é o seu interesse de investimento. O critério de rentabilidade não é o único a ser considerado, principalmente na renda variável.

3. Custos
Para definir o valor a ser aplicado no ETF, faça o cálculo dos custos envolvidos. Assim, você evita surpresas na hora de negociar.

De forma geral, quanto menor as despesas, mais dinheiro no seu bolso. Analise-os contra o investimento em ações, carteira recomendadas e fundos de ações. Eles servem como bons comparativos.

Fonte: https://blog.rico.com.vc/etf

Abrir bate-papo
Escanear o código
Olá
Podemos ajudá-lo?